sexta-feira, 7 de outubro de 2011

WESLEY NOOG

MAMELUCO AFRO-BRASILEIRO GIRA PELO BRASIL

O vocábulo mameluco traz em seu significado o fruto da junção genética do branco europeu com o índio que já habitava nosso espaço geográfico antes do século XVl. Afro está ligado ao negro africano, que só chega ao nosso país a partir do século XVll. Brasileiro é o nome dado ao cortador do Pau Brasil. Se temos uma nomenclatura como povo, esta seria Povo Mameluco Afro Brasileiro. Um povo cuja identidade revela várias faces que se unem e que através de nossa história construíram nossa imensa bagagem de riqueza cultural.

Por esta razão, Mameluco Afro Brasileiro é o título do seu 4º CD, o 2 º solo do cantor e compositor Wesley Nóog. Buscando retratar musicalmente esta história, Wesley Nóog pesquisou e utilizou vários elementos. Nas melodias trabalhou ritmos como o samba, afoxé, maracatu, ciranda, rap, hip hop, funk, soul e black music. Como esteio das composições, o lirismo da formação do povo brasileiro, os orixás, a beleza da mulher mestiça, a favela, a periferia, o batuque, o amor e a função do artista na arte popular.

Depois de um grande sucesso pela cidade e pelo estado de São Paulo (o seu primeiro CD solo já teve mais de 1 milhão de downloads), sempre mantendo os pés junto às suas Raízes Cooperiféricas, enquanto grava o seu terceiro trabalho solo Wesley Nóog agora parte para shows e intervenções culturais Brasil afora. Sempre trazendo na sua bagagem a música, por meio dos shows junto ao grupo musical que o acompanha a 1BANDA (HUMBANDA), mas também muita idéia para trocar, experiências culturais e históricas, sempre disposto a compartilhar junto às comunidades, centros culturais e casas de concertos por onde passa..

Uma palhinha da performance de Wesley Nóog e 1BANDA pode ser conferida neste e em tantos outros vídeos disponíveis gratuitamente na web: "Povo Brasileiro - AO VIVO" e "Espelho D'Água - AO VIVO".

TRAJETÓRIA DE WESLEY NÓOG

O paulistano Wesley Nóog iniciou sua carreira artística em 1993, com o grupo Swing & Cia. Cinco anos depois, passou a integrar o Estação Fankalha, expressivo grupo do cenário musical alternativo.

Seu primeiro trabalho solo foi um singles com 2 músicas Mameluco Afro Brasileiro, lançado em 2008,em 2010 lança o disco cheio com 10 músicas resultado de um rico diálogo entre ritmos brasileiros, e as influências do soul e da Black music. Para Wesley é impossível retratar musicalmente o Brasil utilizando apenas ritmos como o samba, afoxé, maracatu e ciranda. A solução foi misturar os estilos e colocar um pé na modernidade e outro pé na ancestralidade.

O jornalista Gilberto Dimenstein, em seu programa veiculado na rádio CBN, classificou o trabalho de Wesley como uma das maiores inovações da nova geração da música brasileira.

O CD, disponibilizado gratuitamente na web pelo artista, alcançou a impressionante marca de um milhão de downloads.

Entre julho e agosto de 2009 realizou shows na França, abrindo o mês de música brasileira ao lado de Gilberto Gil, Seu Jorge, Geraldo Azevedo e Natiruts. A reação do público superou as expectativas do próprio Wesley que viu seu trabalho conquistar a admiração não só dos franceses, mas também de turistas das mais variadas nacionalidades. Os destaques ficaram para as apresentações no ?Favela Chic? de Paris, no Centro Cultural Saraaba e na comemoração oficial do feriado ?Festa Nacional? (Queda da Bastilha) em Aix-En-Provence.

O show foi uma das principais atrações da comemoração oficial da cidade. Nóog viveu momentos inusitados ao ser acompanhado pelo público presente até o "Pont des Arts", um ponto de encontro de artistas na beira do Rio Sena. A música não parou nem sequer no metrô e contagiou os que encontravam a "procissão" seguindo seu trajeto. O artista também participou do Festival de Teatro de Avignon, evento que promove o encontro de grande parte da produção teatral do país. No mesmo ano, abriu a semana de música brasileira do Itaú Cultural no projeto Toca Brasil. Apresentaram-se músicos da nova geração de todo território nacional e Wesley representou São Paulo.

Em seus shows, Wesley apresenta-se juntamente com virtuosos músicos, que o acompanharam por espaços como Studio SP, Cooperifa, Zahi Club (antigo Blen Blen), Bar Brahma, Sesc Pompéia, entre outros.


CONTATO P/ MATÉRIAS:
11-9819-3440 (Wesley Nóog) ou 6991-9699 (Danilo Dara)

CONTATO P/ SHOWS, DEBATES E OUTRAS PERFOMANCES:
(Danilo Dara)8708-7962 - 2174-6805 (Wesley Nóog)9819-3440

http://www.myspace.com/wesleynoog

www.facebook.com/WESLEYNOOG

SARAU VILA FUNDÃO


Sarau Vila Fundão é parte da LUTA POPULAR, e tem um compromisso em debater e atuar com as Lutas e as artes da quebrada. As manifestações artísticas presentes no sarau são: música, poesia, teatro, literatura, dança, artes plásticas, entre outras.


06.10 Lançamento CD U-CLAN + Poetas 

08.10 Cine Luta Popular Infantil: A Viagem de Chihiro
( Viela Paulo Monteiro Duarte) Inferninho - Morro do Piolho às 18h.

13.10 Filme Jennifer de Renato Cândido + Poetas

20.10 Sarau na Biblioteca Helena Silveira faz homenagem a Carolina Maria de Jesus das 14h às 16h.

20.10 Música com Originais do Gueto + Poetas
27.10 
Sarau na Biblioteca Helena Silveira das 14h às 16h

27.10 Lançamento Clip e Cd Quebra-Cabeça de B Valente + Poetas + Cia de Teatro Extremos Atos

Biblioteca Helena Silveira
Rua Doutor João Batista Reimão, 146 - Campo Limpo
 Tel. 5841-1259

Sarau Vila Fundão 
Rua Glenn, s/n Atravessa Av. Sabin. Metro Capão Redondo 
Escola sem luz, descaso com a educação

A Escola Estadual Waldir Rodolpho de Castro, o ' Latão' (rua dos Jeribás s/n -Cohab Adventista ),no Capão Redondo, zona sul de São Paulo,há  15 dias  teve o seu  relógio de luz incendiado por vândalos , sem que  até agora nenhuma providência tenha sido tomada pelo Governo do Estado para resolver o problema. Os alunos estão tendo aulas até às 4 horas . Uma das maiores escolas da região, com cerca de 1 .500 matriculados em três períodos, a escola é famosa por passar alunos de ano, inclusive analfabetos, mesmo não frequentando as aulas.

A Escola Waldir Rodolpho  de Castro, ainda de lata por dentro, simboliza a miséria da educação em São Paulo. Seria um assunto de grandeza absoluta para o Fórum Social Mundial [...].

Uma cidade não se resume a lixo e buracos, e  a partir de agora enveredaremos para o mundo da educação, visitando - assim que possível - escolas em bairros das periferias pobres de nossa rica cidade e Região Metropolitana de São Paulo. Numa espécie de "ouvidoria popular da educação", tentaremos compreender o descaso com o assunto educação, muito lembrado em campanhas políticas :  o domínio das drogas nas escolas, a arquitetura do atraso dos prédios escolares, conflitos entre professores e alunos, a saúde mental e física do estudante e professor,  falhas curriculares, segurança escolar, e a omissão e leniência dos governos  que  só servem para manter a escola que não queremos. Uma reflexão sobre a valorização do professor  e trabalhadores da educação  da rede estadual e municipal  deverá ser pensada , em todos os sentidos . Todas as considerações e observações - sempre apontando  os humildes meios de solução -serão encaminhadas  ao Ministério Público , à imprensa ,   autoridades e  a quem desejar ; com o devido cuidado para não serem usadas ou exploradas para fins eleitorais.

                                            Devanir Amâncio

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Turismo no Centro

Sem-teto como guia turístico no centro de São Paulo ? É uma possibilidade ! [...] .



Desinibido, o morador de rua Welliton Duarte , o Carioca, 30, na rua desde os treze anos, diz que se aprendesse o inglês básico se transformaria em um exímio guia turístico. Perguntado na Praça da República sobre novidades no centro da cidade ,comentou :



" Conheço tudo sobre o Centro. Dou mais informações que a polícia .Tem morador de rua sabido... Alguns podem ajudar até no turismo. Têm os turistas estrangeiros ,os que vêm de outras cidades e os daqui, que moram na vila , vêm passear,procurar emprego e se perdem[...].



Tem uma notícia boa na Avenida São Luís ( em frente ao Edifício São Luís, número 77), dois pés de seringueiras com as raízes bem bonitas, parece gente entrelaçada , são fotografadas o dia inteiro... Outra novidade... Sabe o calçadão da Barão de Itapetininga, é assim de gente, virou rua de pornografia, cinema pornô, pertinho do Teatro Municipal, da Base da Guarda Metropolitana, os camelôs vendem DVDs pornôs em cavaletes e telas . Na semana passada foi o maior fuzuê, os clientes com crianças reclamaram ,uma senhora gritou :'essa é a nossa cidade, nota dez para o prefeito', e seguranças das lojas saíram correndo atrás do alemãozinho ( personagem magro de camiseta branca da foto). Mas ele e os outros devem ter costa - quente. Isso movimenta muito dinheiro. A televisãozinha que tinha lá estava chamando muito atenção, agora eles usam celular para quem quiser conferir o produto antes de comprar."



 

Devanir Amâncio

RUA GOZADA

Calçadão da pornografia




O calçadão da rua Barão de Itapetininga ,próximo ao Teatro Municipal , no centro de São Paulo, a trinta metros da Base Móvel da Guarda Civil Metropolitana , transformou-se em rua da pornografia. Camelôs - sem serem incomodados pelos policiais militares e guarda civis metropolitanos - vendem DVDs pornôs expostos em telas e cavaletes .



Uma notícia desagradável e deprimente que acontece debaixo dos olhos da Prefeitura de São Paulo.



A maioria dos pedestres desaprova a exposição escancarada da pornografia no calçadão da Barão de Itapetininga e em outros pontos da cidade em plena luz do dia .



Tudo vai de encontro com a cidade dos factóides e dos extraordinários lances de marketing político, como o de fechar e até perseguir os cinemas pornôs em nome da moralidade[..].



O que pensa e como se sente o nosso prefeito ao ver estas imagens? A Promotoria de Justiça da Infância e Juventude poderia tomar alguma providência?




Devanir Amâncio